Buscar
  • Thiago Guimarães

5 LIÇÕES DE VIDA DA SÉRIE SEX/LIFE

Atualizado: Ago 30


A série Sex/Life chegou trazendo polêmica com o nu frontal do ator Adam Demos e já entrou na lista das mais picantes da Netflix. A produção conta a história de Billie (Sarah Shahi) que vive um conflito entre a vida real e as memórias do passado. Billie é uma dona de casa que tem dois filhos pequenos, mora em um subúrbio de Connecticut com o marido Cooper (Mike Vogel), mas não consegue esquecer as aventuras sexuais que viveu com o ex-namorado Brad (Adam Demos), uma grande paixão que, aparentemente, nunca foi completamente superada.


Apesar de ser uma produção erótica, Sex/Life vai muito além de sexo e tem muito a nos ensinar. Na série, a personagem Billie vive a angústia de fazer um mergulho para dentro de si mesma, onde dispara gatilhos emocionais que a levam a repensar a própria vida, o casamento e os próprios sentimentos. Do começo ao fim, a trama traz as dúvidas da personagem e como tudo isso afeta a sua vida. Pensando nisso, abaixo listei as cinco principais lições de Sex/Life.


1. Devemos nos questionar

Todos nós temos o direito e o dever de questionar a nossa própria vida. Em geral, nos colocamos em situações de zona de conforto justamente pela falta de questionamento: será que estou feliz aqui? Era isso mesmo que eu queria para a minha vida? Mereço mais? A dúvida (mesmo quando ainda nem temos uma ideia de qual seria a resposta) é o que nos move para as mudanças de vida. Nós temos uma grande facilidade de adaptação e isso serve tanto para as coisas boas, quanto para as coisas ruins. É muito comum nos adaptarmos a situações desagradáveis (quem nunca?) em todas as áreas da nossa vida. A dúvida, provocada pelos nossos próprios questionamentos, chacoalha as nossas emoções e nos faz pensar e, no momento certo, agir.


2. Cuidado com a valorização excessiva do passado

A neurociência explica que o nosso cérebro funciona sempre tentando economizar energia. Por isso, tudo aquilo que gasta muita energia é apagado. Por exemplo, é comum que, no final de um relacionamento, a gente não se lembre das coisas ruins que aconteceram. Isso acontece porque os momentos de tristeza e angústia gastam muita energia cerebral. Sendo assim, corremos o risco de revisitar o passado com a falsa ilusão de que "naquela época era muito melhor". Pense, reflita, busque nas memórias e se esforce para relembrar se era tudo isso mesmo. Vale lembrar que o nosso cérebro é altamente plástico e isso significa que ele se reorganiza diante de novas situações. Quando deixamos o passado para trás e nos desprendemos do que já se foi, podemos criar novos hábitos: mais eficazes e positivos.

3. Responsabilidade afetiva

Em geral, a grande maioria das nossas decisões, afeta a vida de outras pessoas. Diante disso, é importante analisar muito bem as nossas decisões e refletir sobre como podemos diminuir o dano na vida dos outros. Seja na vida profissional ou na vida amorosa, geralmente, estamos todos interligados. Quando nos preocupamos em como aquilo que fazemos interfere na vida dos que vivem ao nosso redor, expandimos a nossa consciência de que fazemos parte de um todo. Isso faz bem para o outro e, principalmente, para nós mesmos.


4. Fale menos

Um dos grandes erros de Billie é falar demais sobre suas próprias dúvidas para as amigas. Billie é uma mulher ousada, que se permite mergulhar em seus próprios sentimentos. O problema é que nem todo mundo está preparado para ouvir e entender as nossas questões mais profundas. A falta deste entendimento pode provocar julgamentos desnecessários. Na série, Billie é julgada pelas amigas e causa problemas até mesmo na vida profissional do marido.


(ALERTA DE SPOILER)


5. Tome suas decisões e encare as consequências

Billie passa os oito episódios da série em conflito sobre o que fazer em relação ao casamento e o desejo pelo ex-namorado Brad. Ao final da série ela toma uma decisão e vai atrás do ex. Independente de estar certo ou errado, Billie toma uma atitude e, naturalmente, terá que arcar com as consequências. O problema é que, muitas vezes, temos medo de tomar a nossas decisões e arcar com a responsabilidade. Assim, passamos uma vida toda em cima do muro. Sendo assim, enfie a cara e assuma tudo o que vier pela frente.


THIAGO GUIMARÃES

Especialista em Psicologia Analítica e Neurociência e Comportamento pela Pontifícia Universidade Católica (PUC). Também é autor do livro "O Segredo da Mulher Maravilha". Atende crianças, adolescentes, adultos e casais. Palestrante, ministra cursos, workshops e escreve sobre relacionamento, comportamento e bem-estar.

29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo