Buscar
  • Thiago Guimarães

DE PERTO NINGUÉM É NORMAL

Artigo publicado na Revista Bem-Estar do jornal Diário da Região no dia 17/10/21



Outro dia eu acordei cedo, me olhei no espelho e me assustei com a imagem que vi refletida na minha frente. Eu estava abatido, cansado e sem forças. Parecia que um caminhão tinha passado em cima de mim. Minha vontade era voltar para a cama, cobrir a cabeça e esperar o dia acabar. Acho que não dormi bem ou, talvez, tive algum pesadelo terrível aquela noite. Eu também estava de mau humor e irritado comigo mesmo. Realmente eu não estava no meu melhor dia. Eu sei que todos nós temos os nossos dias ruins, mas é impressionante como a gente mesmo se cobra para estar sempre bem.

Romantizam tanto a ideia de que temos que ser fortes, corajosos, determinados e felizes o tempo todo que, quando não estamos nos nossos melhores dias, nos sentimos culpados por isso. Ficamos com aquela sensação de que deixamos a peteca cair e estragamos a brincadeira. Poxa vida, não dá para ser forte todos os dias. Estar fragilizado em algum momento faz parte de ser humano. Somos seres frágeis. É natural que as nossas emoções e o nosso ânimo estejam flutuando entre o bem e o mal, que um dia estamos super bem e no outro nem tanto.

Na minha experiência em atendimento clínico eu percebo a quantidade de gente que busca ajuda porque não está conseguindo dar conta de tudo. Na verdade, me parece que este é o grande conflito da atualidade. Trabalho, relacionamentos interpessoais, filhos, contas a pagar, problemas familiares, saúde, atividade física e muito mais. É tudo ao mesmo tempo. Não dá para manter tudo sob controle o tempo todo. A pessoa se sente livre quando escuta que “está tudo bem se você não der conta de tudo”. A sociedade nos cobra? Sim, com certeza. Mas a cobrança está, principalmente, dentro de nós mesmos. Cobramos muito de nós e, automaticamente, acabamos cobrando muito dos outros, que também cobram demais da gente. É um ciclo sem fim.

Não podemos nos esquecer que a falha faz parte de todo o processo. Somente quando falhamos é que podemos aprender com os nossos erros. O crescimento e a evolução só acontecem quando olhamos para nossos erros e entendemos onde e porque erramos. Assim, deixamos de errar nas mesmas coisas para errar em outras. E seguimos em pleno crescimento. O fato é que não vamos parar de errar nunca, assim como também não vamos parar de aprender.

Está tudo bem se você não conseguiu chegar onde queria ainda. Está tudo bem se você não está com tanta coragem hoje ou se você não tem as respostas para todas as perguntas. Calma. Quando a gente para de se punir, sobra tempo para aprender. A autopunição não vai te levar para lugar nenhum e você só vai perder tempo. Um tempo precioso que poderia estar sendo usado para você cuidar um pouquinho mais de si mesmo. Sim, precisamos ser mais amorosos com a gente mesmo.

Temos o hábito de nos comparar com os outros e isso só piora toda a situação. Todo mundo tem algum problema, mas a maioria só posta o que é bonito. Caetano Veloso nos faz refletir sobre o assunto na música “Vaca Profana”, onde ele diz que “de perto ninguém é normal”. Errado não está. Somos todos muito humanos e estamos, cada um da sua forma, vivendo as próprias dores.

Acordou se sentindo derrotado hoje? Tudo bem! Acolha seus sentimentos, coloque uma música que te agrada, coma algo que você goste muito. Pise no freio e, neste dia, se trate com mais carinho. Amanhã é outro momento. É provável que o mundo não acabe hoje, então não precisa ter tanta pressa. Você é um ser humano que vem caminhando, tropeçando e levantando há muito tempo. Você já sabe como fazer isso. Respira.


THIAGO GUIMARÃES

Especialista em Psicologia Analítica e em Neurociência e Comportamento pela Pontifícia Universidade Católica (PUC). Também é autor do livro "O Segredo da Mulher Maravilha". Atende crianças, adolescentes, adultos e casais. Palestrante, ministra cursos, workshops e escreve sobre relacionamento, comportamento e bem-estar.

9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo